Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Cras sollicitudin, tellus vitae condimentum egestas, libero dolor auctor tellus, eu consectetur neque.

Press enter to begin your search

Brasileiras Drik Barbosa, Duda Beat e Luisa Sonza ganham espaço cantando sobre empoderamento feminino no hip-hop e no pop

Brasileiras Drik Barbosa, Duda Beat e Luisa Sonza ganham espaço cantando sobre empoderamento feminino no hip-hop e no pop

Em 2019, nomes femininos chamaram a atenção na cena musical do pop e do hip-hop, antes dominada por homens. Nos dias atuais, a energia feminina tem se manifestado com muita força na música. Essa popularidade comprova que existem muitas mulheres talentosas no meio musical, cantando de todos os lugares do mundo sobre empoderamento, e o Brasil não ficou de fora dessa onda. No mercado musical brasileiro de hip-hop, Drik Barbosa (na foto) é uma das revelações do ano. Outras mulheres também bebem do gênero e o misturam com letras que falam sobre a temática do empoderamento e com pop, como Duda Beat e Luisa Sonza.

Drik Barbosa se abriu para o mundo e mostrou seus sentimentos e lutas no EP “Espelho”, em 2018. A rapper e cantora paulistana de 27 anos lançou a música “Quem Tem Joga”, faixa do seu primeiro álbum, “Herança”, que chegou este ano pela Laboratório Fantasma. O single mistura rap e funk e tem a participação das também brasileiras Karol Conka e Gloria Groove.

Em suas letras, Drik enaltece o poder feminino, um bom exemplo da mensagem que ela busca passar é a rima de “Quem tem Joga”:

“Essas mina é monstra

O terror do baile chegou e ‘tá pronta

Respeita e não encosta

Se eu desço e se subo não é da sua conta

Essas mina é monstra

O terror do baile chegou e ‘tá pronta

Respeita e não encosta

Se eu desço e se subo não é da sua conta”

De acordo com Drik, ser mulher no mundo é difícil, tem que lutar muito, assim como no hip-hop. “Nós precisamos ser 10 vezes melhores do que os homens neste estilo de música para ganhar reconhecimento. Temos que estar nos renovando e dando o melhor de nós para levar a mensagem do momento no hip-hop”, ressalta Drik, e completa: “eu canto rap desde os 14 anos, e a minha música fala sobre a opressão da nossa cultura, da nossa negritude e sobre ser mulher. Eu me inspiro em mulheres fortes como a americana Lauryn Hill e a norte-americana Erykah Badu ”, completa.

Já a recifense Duda Beat é a cantora revelação que ganhou o título de “rainha da sofrência pop”. Ela ganhou projeção nacional após o lançamento de seu primeiro álbum, “Sinto muito” (2018), com letras de amor e dor cantadas a partir da mistura de diversos gêneros, como rap, hip-hop, reggae e Música Popular Brasileira. Em 2019, Duda foi consagrada como cantora revelação pelo canal Multishow e no prêmio totalmente dedicado às vozes de mulheres brasileiras, o Women’s Music Event, ela levou como melhor show. Seu álbum de estreia foi incluído na lista dos dez melhores discos nacionais do ano de 2018 da revista Rolling Stone.

Este foi o ano de consagração de Luisa Sonza. A cantora lançou o seu primeiro álbum solo: “Pandora”. Com oito músicas, o disco agradou bastante o público e consagrou Sonza como uma das grandes cantoras de música pop brasileira da nossa geração. A gaúcha começou a carreira postando vídeos covers no youtube, e, em 2017, assinou contrato com a Universal Music. Em 2017 venceu o Prêmio Multishow de Música Brasileira como melhor cover da web. No Women’s Music Event Awards deste ano ela levou como Revelação.

Veja aqui os destaques musicais de Drik Barbosa

Conheça um pouco mais do som de Duda Beat

Confira as músicas de Luisa Sonza

X