Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Cras sollicitudin, tellus vitae condimentum egestas, libero dolor auctor tellus, eu consectetur neque.

Press enter to begin your search
 

Palestras do segundo dia do BMS tratam sobre o poder dos artistas junto às marcas

Palestras do segundo dia do BMS tratam sobre o poder dos artistas junto às marcas

BMS - 05.12.17

O segundo dia da Brasil Music Summit: Sync & Music Branding – evento promovido pelo Brasil Music Exchange (BME), projeto de exportação de música brasileira realizado pela Brasil, Música & Artes (BM&A) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) – trouxe pontos de vista interessantes sobre o poder cada vez maior que os artistas adquirem junto às marcas e ao mercado publicitário. Três palestrantes que se aprofundaram neste debate foram Ricardo Rodrigues, da Let’s GIG, Yassine Saidi, da Puma Global, e Evandro Fióti, do Laboratório Fantasma.

Ricardo, que palestrou sobre “o que é aceitável na relação entre a marca e o artista?”, comentou que “a primeira coisa a se pensar na relação com marcas é no planejamento estratégico da carreira do artista, buscando, assim, empresas que tenham a ver com os objetivos traçados”. Ele assegurou que esse pensamento é parte do sucesso de Liniker & Os Caramelows, banda agenciada pela Let’s GIG.

Em sua apresentação, Fióti, que está à frente das carreiras dos rappers Emicida e Rael, mostrou um posicionamento parecido  e disse ser essencial haver uma sinergia entre a essência das marcas com os artistas. Esse é inclusive um dos pilares a que atribui o sucesso do Laboratório Fantasma. “Jamais trabalhamos com produtos com os quais não nos identificamos plenamente”, assegurou.

A música no centro

Yassine Saidi, que veio ao Brasil especialmente para o evento, tratou sobre o trabalho da Puma no segmento de music branding. Ele detalhou a trajetória da relação entre moda e música e explicou que vê os cantores(as) no centro da estratégia de qualquer marca de sucesso. “Os artistas do rap refizeram e reeditaram a moda”, comentou. Segundo ele, essa se tornou uma tendência irreversível que deve ir mais longe: “no futuro, os artistas estarão à frente de suas próprias marcas. Isso já está acontecendo”.

E completou explicando a estratégia da marca: “não pagamos mais anúncios em revistas, investimos na música, pois é o meio cultural mais poderoso do mundo e usamos as redes sociais para alavancar o alcance. Esses projetos estão dando um retorno muito positivo”, disse, destacando especialmente a parceria com a cantora Rihanna.

Fióti, que também tem uma relação forte com moda, apresentou o case de sucesso da participação da marca de roupas Lab na São Paulo Fashion Week. O profissional também acredita que esse é um momento de muitas oportunidades para quem trabalha com música. “O mercado está mudando de forma favorável”, finalizou.

Sobre o BME

O Brasil Music Exchange (BME) é um projeto de auxílio à exportação de música desenvolvido desde 2002 por meio de uma parceria entre a Brasil Música & Artes (BM&A) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Para essa finalidade, o BME realiza diversas atividades de promoção de negócios e imagem internacional.

X