Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Cras sollicitudin, tellus vitae condimentum egestas, libero dolor auctor tellus, eu consectetur neque.

Press enter to begin your search
 

Atitude 67: conheça a banda brasileira que mistura o samba, rap e pagode

Atitude 67: conheça a banda brasileira que mistura o samba, rap e pagode

As letras da banda Atitude 67 não saem da cabeça dos jovens brasileiros. O grupo explora um repertório divertido, misturando o samba com pagode e pitadas de rap e lança a primeira parte de sua estréia no formato DVD em dezembro, com o trabalho “Label 67”.

A banda, que configura o topo de várias paradas musicais brasileiras, é composta composta por Pedrinho Pimenta (vocal), Éric Polizér (violão e vocal), Karan Cavallero (pandeiro e vocal), GP (rebolo), Leandro Osmar (reco reco) e Regê (surdo). Os músicos são todos da cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul — estado localizado no Centro-Oeste do Brasil.

O som que em 2013 começou como uma brincadeira, em 2007 virou profissão. De lá pra cá já são muitos sucessos, como o hit “Cerveja de Garrafa”, “Vem”, “Tão linda” e “A Gente Se Pá”. 

Entre os lançamentos, o álbum ao vivo “Corleone”, de 2018, e os Eps: “Laje 67”, “Praia 67”, “Luau 67” e “Casa 67”. O número 67 é, na verdade, o código para chamadas telefônicas do estado do Mato Grosso do Sul.

Neste ano, a banda foi ainda um dos destaques do 26º Prêmio Multishow, que aconteceu no final de outubro, levando para casa a condecoração na categoria Melhor Grupo de Ano. O site do Brasil Music Exchange conversou com Pedrinho Pimenta sobre a breve e explosiva trajetória da banda.

Como começou a banda?

A banda começou com um grupo de amigos que se reuniam na garagem de casa na adolescência para fazer música. Como eram menores de idade e não podiam entrar nas festas, começaram a fazer pequenos eventos para os amigos da escola e, com o passar do tempo acabaram criando uma cena nova na cidade de Campo Grande – MS!

Quem foi o grande responsável pelo lançamento do Atitude 67 no mercado da Música?

O cara que que acreditou em nós foi o Dudu Borges. Viu a gente tocando em alguns bares em São Paulo. Aí veio o convite para o primeiro disco. Que foi o início disso tudo.

Qual a importância do Prêmio Multishow para a carreira?

Muito grande! Nosso primeiro prêmio nacional e levar em consideração a quantidade de grupos que existem no país é uma honra ser premiado. Fora que a visibilidade aumenta. Quem não nos conhecia teve um primeiro contato com o nosso trabalho. Mas isso também aumenta a responsabilidade, não é?

Existe previsão de lançamento ainda para 2019?

Ainda esse ano, provavelmente em dezembro, lançaremos a primeira parte do nosso DVD: “Label 67”.

Já pensam em turnê internacional?

Sempre pensamos, mas sempre foi um sonho. Agora vemos amigos e colegas artistas dos gêneros mais diversos indo. Esperamos conseguir em breve.

Veja aqui uma das músicas mais famosas da banda

 

 

X